slogan

SELO ENEF RGB 01

Seja qual for o seu motivo, faça um mundo com mais Economia.

Conheça os Vencedores Prêmio Nobel de Economia

1969: Ragnar Frisch e JanTinbergen, Aplicação de modelos econômicos dinâmicos

1970: Paul A. Samuelson, EUA, melhora do nível das análises da ciência econômica

1971: Simon Kuznets, Rússia, crescimento econômico das nações

1972: John R. Hicks, Reino Unido, teorias do equilíbrio econômico e do bem-estar

1973: Wassly Leontief, Análise de input-output

1974: Gunnar Myrdal e Friedrich Von Hayek, flutuações econômicas, moeda, interdependência dos fenômenos econômicos e sociais com os fenômetos institucionais

1975: Leonid Kantorovich e Tjalling Koopmans, alocação óptima de recuros

1976: Milton Friedman, consumo, história monetária e política de estabilização

1977: Bertil Ohlin e James Meade, comércio internaconal e movimentos de capital

1978: Herbert Simon, processos de decisão de organizações

1979: Theodore Schultz e Arthur Lewis, desenvolvimento e sub-desenvolvimento

1980: Lawrence Klein, modelos econométricos das flutuações e da política econômica

1981: James Tobin, macroeconomia e mercados financeiros

1982: George Stigler, economia industrial e intervenção pública

1983: Gerard Debreu, teoria do equilíbrio geral

1984: Richard Stone, contabilidade nacional e análise empírica

1985: Franco Modigliani, popuança e mercados financeiros

1986: James Cuchanan, bases contratuais e constitucionais na decisão econômica e política

1987: Robert Solow, crescimento econômico

1988: Maurice Allais, mercados e eficiência na utilização de recursos

1989: Trygve Haavelmo, probabilidades e estruturas econômicas

1990: Harry Markowitz, Merton Miller e William Sharpe, economia financeira

1991: Ronald Coase, custos de transação e direitos de propriedade

1992: Gary Backer, microeconomia de comportamentos humanos

1993: Robert Fogel e Douglass North, história econômica quantitativa

1994: John Harsanyi, John Nash e Reinhard Selten, teoria dos jogos não cooperativos

1995: Robert Lucas, antecipações racionais

1996: James Mirrlees e William Vickrey, incentivos com informação assimétrica

1997: Robert Merton e Muron Scholes, determinação do valor dos derivados

1998: Amartya Sem, economia do bem-estar

1999: Robert Mundell, políticas monetárias e orçamentais em economias abertas e áreas monetárias ótimas

2000: James Heckman e Daniel McFadden, econometria aplicada a comportamentos microeconômicos e as variáveis discretas

2001: Joseph Stiglitz, George Akerlof e Michael Spence, problemas gerados na economia pela informação assimétrica dos agentes

2001: Vermon Smith e Daniel Kahneman, desenvolvimento da economia experimental e da psicologia na análise de decisões em incerteza

2002: Vemon Smith e Daniel Kahneman, desenvolvimento da economia experimental e da psicologia na análise de decisões em incerteza

2003: Robert Engle e Clive Granger, introdução e desenvolvimento dosprocessos com heteroscedasticidade auto-regressiva e de relações de co-integração

2004: Edward C. Prescott (EUA) e Finn E. Kydland (Noruega), ciclos de negócios que permitiram formular políticas econômicas eficazes

2005: Thomas C. Schelting (EUA) e Robert J. Aumann (Alemanha), conflito e cooperação por meio de análise da teoria dos jogos

2006: Edmund S. Phelps (EUA), as relações dos efeitos a curto e longo prazo de uma política econômica

2007: Roger B. Myerson (EUA), Eric S. Maskin (EUA) e Leonid Hurwicz (Rússia), teoria do desenho de mecanismos

2008: Paul Krugmann (EUA), teoria que integra comércio e geografia econômica

2009: Oliver E. Williamson (EUA) e Elinor Ostrom (EUA), análise da governança econômica

2010: Christopher A. Pissarides (Inglaterra/Chipre), Dale T. Mortensen (EUA) e Peter A. Diamond (EUA), relações entre a política econômica e o desemprego

2011: Christopher Sims (EUA) e Thomas Sargent (EUA), pesquisa empírica sobre causa e efeito na macroeconomia

2012: Lloyd Shapley (EUA) e Alvin Roth (EUA), como relacionar os agentes de determinados mercados

2013: Eugene F. Fama (EUA), Lars Peter Hansen (EUA) e Robert J. Shiller(EUA), análise empírica do preço dos ativos

2014: Jean Tirole (França), poder de mercado das empresas

2015: Angus Deaton (Escócia), análise sobre consumo e pobreza.