Enesul: Repensando a economia da Região Sul

Após o encerramento do 3º Encontro dos Peritos em Economia e Finanças da Região Sul, ocorrido na quinta-feira, dia 18, foi realizada a abertura oficial do 26º Encontro de Economistas da Região Sul (Enesul) que, neste ano, abordou o tema “Inovação, incerteza e perspectiva – Repensando a economia da Região Sul”. A mesa de abertura foi composta pelos presidentes dos Corecons de Santa Catarina, economista Sílvio José Martins Filho, do Rio Grande do Sul, economista Mário de Lima, e do Paraná, economista Eduardo André Cosentino, e pelo presidente do Cofecon, economista Antonio Corrêa de Lacerda. Também compuseram a mesa, os economistas Paulo Roberto Lobo, conselheiro federal de Santa Catarina, e Bruna Furlanetto, da comissão organizadora do evento.

O presidente do Corecon-SC, economista Sílvio Martins, abriu os trabalhos agradecendo os palestrantes e painelistas que participarão do evento, e a todos os economistas e estudantes de Economia presentes. Falou sobre a importância do tema central desta edição do Enesul, que "retrata o momento do mundo atual" e disse que a região sul do Brasil também possui limitações estruturais, que deverão ser analisadas durante o evento, "que é o nosso grande objetivo, além de levantar alternativas e soluções para os problemas". 

O presidente do Corecon-RS, economista Mário de Lima, disse que é uma satisfação muito grande participar desta edição do Enesul e agradeceu a presença de todos. Lembrou que a pandemia trouxe uma série de problemas à educação, tanto em nível nacional como mundial, comprometendo de forma muito séria o processo de aprendizagem das crianças e a recuperação dos estudantes de uma forma geral e que a grande preocupação do Corecon-RS é justamente trazer esse tema para o debate. Disse que o Rio Grande do Sul tem uma Lei que trata da inclusão da educação financeira nas propostas pedagógicas dos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privado. "Isso, para nós, é de extrema importância para que tenhamos futuros adultos melhor preparados para tomada de decisões", afirmou, lembrando que o tema também deve também ser repensado pelos cursos de graduação e pós-graduação, já que se trata de uma ampliação do mercado de trabalho para o economista. 

O presidente do Cofecon, economista Antonio Lacerda, saudou os presidentes dos Corecons, economistas e estudantes de economia presentes, e destacou a importância de o Cofecon estar apoiando eventos como o Enesul, que buscam o aprimoramento e a qualificação de profissionais e estudantes, "fundamentais para o debate e análise dos problemas econômicos por que passa o País" e falou sobre o papel social do economista neste momento, em função da importância do Brasil no contexto internacional.  

O presidente do Corecon-PR, Eduardo Cosentino, parabenizou a organização do Enesul e saudou a caravana de estudantes que vieram do Paraná para acompanhar as discussões sobre a situação da região sul do Brasil. 

Os trabalhos iniciaram na parte da manhã, com o painel “Sustentabilidade e mudança da matriz energética no contexto da economia da Região Sul”, integrado pelos economistas Francisco Grabovski Neto, do Corecon-SC, Adriana Ripka, do Corecon-PR, e Paulo de Tarso Gaspar Pinheiro Machado, do Corecon-RS. No início da tarde, o painel “Macroeconomia: Inovações, incertezas e expectativas para a Região Sul” reuniu os economistas Patricia Bonini, do Corecon-SC, Rodrigo Rafael de Medeiros Martins, do Corecon-PR, e Luiz Henrique Zago Gaston, do Corecon-RS. O último painel do dia, “Inovações no mercado financeiro: Criptoativos, Fintechs e Investimentos” foi composto pelos economistas Lorenzo Sanfelice Frazzon, do Corecon-SC, Jadye Lima, do Corecon-PR, e Karen Eliza Focchesatto, do Corecon-RS.

Clique AQUI para acompanhar a transmissão

Florianópolis reúne economistas peritos dos três Estados do Sul

 

O presidente do Corecon-RS, economista Mário de Lima, participou, na última quinta-feira, dia 18 da abertura do 3º Encontro dos Peritos em Economia e Finanças da Região Sul, que aconteceu na cidade de Florianópolis. Também compuseram  a mesa os presidentes dos Corecons de Santa Catarina, economista Sílvio José Martins Filho, e do Paraná, economista Eduardo André Cosentino, e contou com as participações da coordenadora da Comissão de Perícia Econômico-Financeira, Mediação e Arbitragem do Cofecon, economista Maria de Fátima Miranda, e do coordenador do Núcleo de Perícias do Corecon-SC, economista Ademir Feltens.

O presidente do Corecon-RS, economista Mário de Lima, afirmou que, no caso do Rio Grande do Sul, os peritos são o segmento mais organizado dentro das diversas áreas que compõem a categoria do economista. “E isso se dá principalmente pelo histórico de luta dos peritos para terem sua atividade reconhecida, comparativamente ao histórico trabalho que vem sendo desenvolvido pelos profissionais de outras áreas que atuam na perícia”, explicou. Disse que recentemente esteve em reunião com a presidência do Tribunal de Justiça do RS, que ratificou sua disposição em trabalhar de forma enfática junto a seus colegas do Judiciário, na importância dos processos de perícias desenvolvidos pelos economistas. Mário de Lima finalizou sua fala elogiando o trabalho que vem sendo promovido pelo Cofecon, em parceria com os Corecons, buscando a troca de experiências entre os peritos economistas de todas as regiões do País.

O presidente do Corecon-PR, economista Eduardo André Cosentino, explicou que a Perícia é uma atividade que, em função do desenvolvimento tecnológico atual, pode ser inicialmente desenvolvida de forma paralela com outras atividades. Disse que houve, em passado recente, alguma resistência por parte de alguns membros do Judiciário com relação à perícia desenvolvida por economistas, principalmente por falta de conhecimento por parte de alguns juízes sobre a capacitação do profissional economista para o acompanhamento dos processos, o que já foi, com o tempo, totalmente superado.

O presidente do Corecon-SC, economista Sílvio José Martins Filho, agradeceu a presença dos economistas e estudantes de Economia de várias partes do Brasil e disse que o Novo Código de Processo Civil provocou um aumento significativo do número de perícias envolvendo processos de origem econômico-financeira, com um leque muito grande de novas formas de atuação para o profissional Economista. Martins Filho ressaltou, ainda, a importância do conhecimento econômico para a análise dos processos que subsidiam a tomada de decisões dos juízes.

A economista Maria de Fátima Miranda, do Cofecon, fez uma apresentação da Comissão de Perícia Econômico-Financeira, Mediação e Arbitragem, que coordena no Cofecon, e elencou seus integrantes e diversos colaboradores.

Encerrada a abertura do Encontro, a palavra foi passada ao desembargador e ex-Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, Rodrigo Tolentino de Carvalho Collaço, que falou sobre “A importância da perícia econômico-financeira como prova na Justiça”.

Em seguida, foi feita a apresentação “Introdução à perícia econômico-financeira, com o economista Ademir Tenfen, e os painéis “Aspectos relevantes na perícia de apuração de haveres”, com André Luiz Koerich (Corecon-SC), Giovani Mota Moreira (Corecon-RS) e Ademir Tenfen (Corecon-SC); “Liquidação de sentença após a Reforma Trabalhista”, com Gustavo da Cunha Raupp (Corecon-RS), Tiago Jazynski (Corecon-PR) e Ademir Tenfen (Corecon-SC); “Revisionais bancárias e suas principais teses”, com Tácio Féres Dagostini (Corecon-SC), Vanya Marcon (Corecon-PR) e Ademir Tenfen (Corecon-SC).

Após o encerramento do Encontro, foi composta a mesa de abertura do 26º Encontro dos Economistas da Região Sul (Enesul). 

 Clique AQUI para acompanhar o 3º Encontro dos Peritos na íntegra

Congresso da ABDE faz chamadas para inscrição de trabalhos

Encontra-se aberta a chamada para a inscrição de trabalhos para o XV Encontro da Associação Brasileira de Direito e Economia (ABDE), a ser realizada em Porto Alegre, nos dias 28 e 29 de novembro no Campus da Universidade do Rio dos Sinos (Unisinos).

Os trabalhos selecionados serão apresentados durante o encontro, em mesas específicas de debate com mediadores. Os melhores trabalhos apresentados passarão por fast track para publicação na Revista de Análise Econômica do Direito (RAED). Os trabalhos podem versar sobre qualquer tema que empregue a metodologia da Análise Econômica do Direito.

Para se inscrever, basta enviar o resumo estendido do trabalho em formato PFD ou Word, para o endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com o título "Submissão de artigo para ABDE 2022", as inscrições vão até o dia 25 de setembro.

Agro gaúcho e desafios regionais foi tema de live do Corecon

O Corecon-RS realizou na noite da última segunda-feira, dia 15, a live “O agronegócio gaúcho e seus desafios regionais”, que reuniu os economistas Gilberto Pilecco, João Carlos Medeiros Madail, Márcio Kalkmann, Tarciano Mélo Cardoso, e Gustavo Inácio de Moraes, professor da Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC-RS), que foi o moderador da live.

Os participantes apresentaram as potencialidades e problemas de suas regiões e pediram maior atenção por parte dos governantes e legisladores, que assumem no próximo ano, para resolverem alguns dos gargalos que mais preocupam suas regiões, como, estradas para escoamento adequado da produção, energia para garantir o funcionamento seguro das máquinas e medidas de agilização das licenças ambientais, que dificultam a instalação de novos projetos.

Gilberto Pilecco, que é produtor rural e agropecuarista da fronteira oeste do estado, apresentou um histórico da cultura da região na luta contra a seca e no desenvolvimento de práticas de sucesso no uso da água e de barragens como forma de garantir e ampliar a pujança da produção agrícola e especialmente do arroz, em que a região se tornou ao longo do tempo.

João Carlos Madail, diretor da Associação Comercial de Pelotas, economista aposentado da Embrapa e conselheiro do Corecon-RS, resgatou as ações históricas da Embrapa na zona sul do RS, que acarretou no resgate do perfil produtivo da região. Elencou o desenvolvimento da produção e de empresas e apontou o novo cenário que vem se destacando, na área alimentícia e, também, na ampliação da produção de oliveiras.

Márcio Kalkmann, professor da Faculdade de Horizontina (Fahor), região da fronteira Noroeste do estado, apresentou o perfil econômico da região, que se destaca pela força das pequenas propriedades de terra e pela diversidade de indústrias ligadas ao agronegócio. Ressaltou a importância da interatividade dos municípios locais com as áreas de fronteira da argentina, em função da proximidade, e falou da carência de mão de obra qualificada que atenda às necessidades das empresas instaladas na região.

Tarciano Cardoso, sócio da Fercien Inovação e estão de Ativos e ex-presidente da Ecosserra, apresentou um relato sobre a importância das empresas da região nordeste, em sua grande maioria muito ligadas, direta ou indiretamente, ao agronegócio. Disse que, embora a região serrana componha o eixo econômico mais desenvolvido do estado do RS, ainda possui problemas sérios de estradas, que dificultam o fluxo de caminhões para outras regiões, impactando de forma muito série no desenvolvimento do RS.

O economista e professor da Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC-RS), Gustavo Inácio de Moraes, que foi o mediador do encontro, destacou a importância da discussão desse tema, “tão importante para o desenvolvimento do nosso estado e do país, que dá voz à pesquisa, análise e à produção dos quatro cantos do RS, para falarem de suas potencialidades e dificuldades”. Gustavo de Moraes agradeceu as participações dos economistas e do público que acompanhou a live, e parabenizou o Corecon pela iniciativa.

A live encontra-se disponível para acesso no canal do Corecon-RS no Facebook. Para isso, basta clicar em facebook.com/coreconrs

Economistas gaúchos estarão no 26º Enesul, em Florianópolis

Os economistas gaúchos Paulo de Tarso Gaspar Pinheiro Machado, Luiz Henrique Zago Gaston e Karen Eliza Focchesatto participarão, na próxima sexta-feira, dia 19, do 26º Encontro de Economistas da Região Sul (Enesul), que acontece em Florianópolis.

Paulo de Tarso participará, às 10 horas, do painel “Sustentabilidade e mudança da matriz energética no contexto da economia da Região Sul”, que também terá a participação dos economistas Francisco Grabovski Neto, do Corecon-SC, e Adriana Ripka, do Corecon-PR. Luiz Henrique Gaston estará, às 14 horas, no painel “Macroeconomia: inovações, incertezas e expectativas para a Região Sul. Também participarão deste painel os economistas Rodrigo Rafael de Medeiros Martins, do Corecon-PR, e Patrícia Bonini, do Corecon-SC. A economista Karen Eliza Focchesatto estará, às 16h30min, no painel "Inovações no mercado financeiro: Criptoativos, Fintechs e Investimentos" . Também integrarão este painel Lorenzo Sanfelice Frazzon, do Corecon-SC, e Jadye Lima, do Corecon-PR.

O Enesul é realizado anualmente em sistema de rodízio entre os Conselhos Regionais de Economia de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. Nesta 26ª edição está sob a responsabilidade do Corecon-SC. O objetivo do Enesul é reunir representantes dos Corecons dos três estados do Sul, bem como os profissionais e estudantes de economia, visando a promover o debate dos fundamentos econômicos das atuais políticas macroeconômicas que subsidiam o andamento da conjuntura econômica nacional, assim como proporcionar a troca de experiências e boas práticas profissionais.

Também, os economistas peritos Giovani Mota Moreira e Gustavo da Cunha Raupp também estarão em Florianópolis, participando, no dia 18 de agosto, do 3º Encontro dos Peritos em Economia e Finanças da Região Sul, evento que antecederá o 26º EEnesul. Giovani Moreira será um dos apresentadores do Painel 1, intitulado “Aspectos relevantes na perícia de apuração de haveres”, que tem início às 15h35min, e que contará também com as participações dos economistas André Luiz Koerich e Ademir Tenfen, do Corecon-SC.

 

Clique AQUI para acessar a programação completa do Enesul

Atenção, Economista! Eleições Corecon-RS 2022

Conforme Edital de Convocação de Eleições, publicado no dia 12 de agosto do corrente ano, no Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul , o Conselho Regional de Economia 4ª Região/RS, torna público que nos dias 27 a 31 de outubro de 2022 estará realizando as eleições para Renovação de um terço de membros deste Conselho, sendo 03 (três) Conselheiros Efetivos, 03(três) Conselheiros Suplentes, 01(um) Delegado-Eleitor Efetivo e 01(um) Delegado-Eleitor Suplente, junto ao Colégio eleitoral do COFECON.

Informamos que o prazo para o registro de chapas encerra-se às 18 horas do dia 13/09/2022 e devem ser feitas por meio do endereço eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., cabendo à chapa, também, o encaminhamento de todos os documentos originais até o último dia do prazo de inscrição, via Correios, para o endereço da sede do Corecon-RS, localizada na Rua Siqueira Campos, nº 1184, 6ª andar, cj 601 a 606, Centro Histórico, Porto Alegre/RS.

Na oportunidade, informamos que todos os documentos pertinentes às eleições, encontram-se disponíveis pra download abaixo:

FICHA DE INSCRIÇÃO DE CHAPA - BAIXAR

REQUERIMENTO DE INSCRIÇÃO DE CHAPA - BAIXAR

CARTILHA ELEITORAL 2022 - BAIXAR

Publicação do Edital no DOE-RS

Publicação do Edital em Jornal de grande circulação

Resolução Comissão Eleitoral

Clique AQUI para acessar direto no Site todas as informações sobre "Eleições Corecon-RS"

Índice de Atividade Econômica sobre 0,69% em junho, aponta prévia do PIB do Banco Central

- Resultado veio acima do esperado pelo mercado, que projetava
crescimento de 0,25%, segundo a Refinitiv -

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), considerado um indicador prévio de desempenho do Produto Interno Bruto (PIB), subiu 0,69% em junho na comparação com maio, informou nesta segunda-feira (15) o Banco Central.

O resultado veio acima do esperado pelo mercado (que projetava um crescimento de 0,25%, segundo o consenso Refinitiv) e interrompe duas quedas consecutivas. As quedas de abril e maio foram revisadas para pior pelo BC (a de abril passou de -0,44% para -0,52% e a de maio, de -0,11% para -0,26%).

Com o resultado de junho, o IBC-Br subiu 0,57% no segundo trimestre mesmo com o recuo na atividade em 2 dos 3 meses e acumula alta de 2,24% no ano e de 2,18% em 12 meses.

Conhecido como uma espécie de “prévia do BC” para o PIB, o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira mensalmente.

Leia em https://www.bcb.gov.br/detalhenoticia/17712/nota

Estudo apresenta dados sobre aumento de mulheres em cargos de altos salários

O estudo "Are social skills helping women in the Brazilian labor market?” (“Habilidades sociais estão ajudando as mulheres no mercado de trabalho brasileiro?”, em tradução livre), conduzido pelo pesquisador, professor e Conselheiro do Corecon-RS, economista Guilherme Stein, em parceria com pesquisadores da UFRGS, trouxe dados sobre o aumento de contratações femininas para cargos de altos salários. 

A principal motivação do estudo foi a constatação de que, em 1994, do total de mulheres empregadas, apenas 1/4 (24,5%) ocupavam empregos de altos salários. Em 2017, essa proporção passou para 33,2%, um aumento de 8,7 pontos percentuais. Em contrapartida, a proporção de homens apresentou uma trajetória em sentido oposto (de 56,1% para 47,1%). A hipótese investigada é de que, dentre outros fatores, o aumento na escolaridade das mulheres e a crescente importância de habilidades sociais em postos de trabalho de alta remuneração podem ter contribuído para o aumento das mulheres nesses cargos.

Os principais resultados do estudo mostram que, de fato, a habilidade social na ocupação está correlacionada com um aumento de cerca de 8 pontos percentuais na proporção de mulheres empregadas em trabalhos de alta remuneração. Além disso, habilidades sociais como pré-requisitos nas ocupações de alta remuneração estão correlacionadas com um aumento médio de 14% no salário das mulheres. No caso dos homens em ocupações de altos salários, os requisitos de habilidades sociais não impactam significativamente.

 

Clique aqui para saber mais!

UPF está com inscrições abertas para projeto de desenvolvimento de Startups

A Universidade de Passo Fundo (UPF), está com inscrições abertas para o projeto Startup Day UPF,  projeto multidisciplinar que envolve estudantes e profissionais das mais variadas áreas do conhecimento, promovido por meio da Escola de Ciências Agrárias, Inovação e Negócios (ESAN), em conjunto com o Parque Científico e Tecnológico – UPF Parque.

O foco do Startup Day está no desenvolvimento de novos empreendimentos que possam ser pré-incubados na Incubadora do UPF Parque. Por sua vez, a incubadora do UPF Parque abriga empresas de base tecnológica e dos setores tradicionais e que apoia o surgimento e o desenvolvimento de empresas que buscam criar novas tecnologias e o melhoramento de processos a partir de um ambiente de inovação, transformando ideias inovadoras em negócios possíveis e viáveis para o mercado. 

Clique aqui para mais informações e inscrição!

Live: “O agronegócio gaúcho e seus desafios regionais”, com os economistas Gilberto Pilecco, João Carlos Medeiros Madail, Márcio Kalkmann, Tarciano Mélo Cardoso e Gustavo Inácio de Moraes

 

O conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS) promove, no dia 15 de Agosto, segunda-feira, às 19 horas, a live “O agronegócio gaúcho e seus desafios regionais”. O evento, comemorativo ao Mês do Economista, contará com as participações dos economistas GILBERTO PILECCO (Produtor Rural, Agropecuarista), JOÃO CARLOS M. MADAIL (Diretor da Associação Comercial de Pelotas, conselheiro do Corecon-RS), MÁRCIO KALKMANN (professor da Faculdade de Horizontina/Fahor) e TARCIANO MÉLO CARDOSO (Economista-Chefe e Sócio da Fercien Inovação e Gestão de Ativos, ex-presidente da Ecoserra). A mediação do encontro será do economista Gustavo Inácio de Moraes, professor da Escola de Negócios da PUC-RS.

A live será transmitida pelo canal do Corecon-RS no Facebook. Clique em facebook.com/coreconrs

Página 7 de 117