Economistas Peritos reúnem-se no Corecon-RS

O Corecon-RS estará realizando no dia 21 de fevereiro próximo (quinta-feira), às 12 horas, na Sede da Entidade ( Rua Siqueira Campos, 1184/ 6º andar) reunião da CAAPPE (Comissão de Auditoria, Avaliação, Projetos e Perícia Econômico-Financeira). Na oportunidade, será discutida a atuação do Economista Perito e seu papel na Justiça do Trabalho, e a implantação do Programa de Cálculo.

Maiores informações pelo fone 51-32542600 ou por e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Giane Guerra é eleita "Jornalista de Economia do Ano"

- Corecon-RS divulga, também, as melhores reportagens de Economia do ano -

A jornalista Giane Guerra, do Grupo RBS, foi escolhida a Jornalista de Economia do Ano. A distinção, concedida pelo Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS), é uma homenagem a um jornalista que se destacou na área de Economia durante o ano. A escolha do nome é feita, anualmente, pelo Corecon-RS e pelas de faculdades gaúchas que oferecem o curso de Jornalismo no Rio Grande do Sul.

Natural de Porto Alegre, Giane Heidrich Guerra é formada em Jornalismo e em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do RS (PUCRS), onde também cursou parte da graduação em Economia. Fez MBA em Finanças e Mercado de Capitais pela Fundação Instituto de Administração (FIA), em 2012, e pós-MBA em Advanced Topics in Business Strategy da University of La Verne, da Califórnia (EUA), em 2014. Fez, ainda, diversos cursos livres, como o Writing Business News na Reuters Foundation, em Londres, e Jornalismo Multimídia, na RBS. Tem no currículo diversos prêmios na área econômica, além de coberturas nacionais e internacionais. Entrou no Grupo RBS em 2001, como estagiária. Atualmente, é colunista multimídia de Economia da Rádio Gaúcha, GaúchaZH, Zero Hora, RBS TV e rádio 102.3.

O Corecon-RS divulgou, também, os vencedores do “Prêmio de Reportagem de Economia 2019”. Na categoria Mídia Impressa, o 1º Lugar ficou para a matéria “Informalidade no mercado de trabalho”, de autoria do jornalista Leonardo Vieceli, da Jornal Zero Hora; o 2º Lugar para “Os 90 anos da crise de 1929”, produzida pelo jornalista Marcelo Beledeli, do Jornal do Comércio; e o 3º Lugar para a matéria “Pão nosso de cada dia”, de autoria da jornalista Juliana Bevilaqua, do Jornal Pioneiro. A matéria ““Um Horizonte em Expansão”, de autoria dos jornalistas Karine Menoncin, Marcos Graciani e Ítalo Bertão Filho, da Revista Amanhã, ficou com a Menção Honrosa. Na categoria Mídia Digital/OnLine, foi vencedora a matéria “Hora de você investir na bolsa? Um milhão de brasileiros estão lá”, de autoria da jornalista Karine Menoncin, do Portal Amanhã.

Os prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 17 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão homenageados os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2019” — que destaca as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso —, o “Prêmio Economista do Ano” e o “Prêmio Economista Destaque do Ano”.

Foto: Lauro Alves

 

PRÊMIO REPORTAGEM DE ECONOMIA 2019

Mídia Impressa (Jornal/Revista)

1º Lugar:
“Informalidade no mercado de trabalho”
Leonardo Vieceli
(Jornal Zero Hora)

2º Lugar:
Série “Os 90 anos da crise de 1929”
Marcelo Beledeli
(Jornal do Comércio)

3º Lugar:
“Pão nosso de cada dia”
Juliana Bevilaqua
(Jornal Pioneiro)

Menção Honrosa
“Um Horizonte em Expansão”
Karine Menoncin, Marcos Graciani, Ítalo Bertão Filho
(Revista Amanhã)

Mídia Digital/OnLine

“Hora de você investir na bolsa? Um milhão de brasileiros estão lá”
Jornalista Karine Menoncin
(Portal Amanhã)

Corecon-RS divulga melhores Monografias, Artigos Técnicos e Dissertações de Mestrado

O Conselho Regional de Economia do RS (Corecon-RS) homologou os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2019”, nas modalidades Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso, Artigos Técnicos ou Científicos e Dissertações de Mestrado. A iniciativa tem como objetivo premiar, anualmente, trabalhos de profissionais que atuam na área da economia, de recém mestres dos cursos de Pós-Graduação em Economia e dos recém formados nos cursos de Graduação em Ciências Econômicas, de instituições de Ensino Superior no Rio Grande do Sul.

O Conselho divulgou, também, o nome de Guilherme Socias Villela, como “Economista Destaque 2019”. Na última segunda-feira, dia 2, o Corecon já havia divulgado o nome de Alexandre Englert Barbosa como o "Economista do Ano 2019". A Comissão Julgadora é independente e formada por nove economistas com atuação profissional no âmbito do Rio Grande do Sul, sendo três representantes do setor público, três do setor privado e três do setor acadêmico.

Os prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 17 de dezembro próximo, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77 – em frente à Rodoviária), em Porto Alegre. Na oportunidade também serão entregues o “Prêmio Economista do Ano”, o título de “Economista Destaque Especial do Ano de 2019”, o “Prêmio Jornalista de Economia do Ano”, além das melhores reportagens de Economia do ano.

 

Economista do Ano 2019
Alexandre Englert Barbosa

Economista Destaque Especial 2019
Guilherme Socias Villela

PRÊMIO CORECON-RS 2019

Monografias ou Trabalhos de Conclusão de Curso

1º Lugar

Título: Os efeitos do Comércio Intraindústria sobre a Complexidade Econômica: Uma abordagem a partir do padrão tecnológico
Autor: Nadine Führ Steffen
Orientador: Marcos Tadeu Caputi Lélis (Corecon-RS Nº 7589) 
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

2º Lugar

Título: O Potencial Econômico do Enoturismo no Município de Pinheiro Preto/SC
Autora: Bianca Batista Serafim
Orientadora: Jacqueline Maria Corá (Corecon-RS Nº 6414)
Universidade de Caxias do Sul - UCS

3º Lugar

Título: Coordenação Entre Autoridades Fiscal e Monetária
Autor: Guilherme Daros
Orientador: Leonardo Xavier da Silva (Corecon-RS Nº 5527)
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

 

Artigos Técnicos ou Científicos

1º Lugar

Título: Crescimento Econômico e Mudanças Estrutural no Brasil: Um conto de Ganhos e Perdas
Autor: Tomás Amaral Torezani (Corecon-RS Nº 8700)

2º Lugar

Titulo: Restrições Fiscais e Infraestrutura: Uma Análise para os Estados Brasileiros
Autor: Rodrigo Nobre Fernandez (Corecon-RS Nº 7458)

 Menção Honrosa

Titulo: O bullying afeta o desempenho escolar dos alunos brasileiros? Uma análise por meio do PISA 2015
Autora: Júlia Sbroglio Rizzoto (Corecon-RS Nº 8625)
Co-autor: Marco Túlio Aniceto França (Corecon-PR Nº 7705)

 

Dissertações de Mestrado

1º Lugar

Título: Disciplina Partidária: Mensuração, Teoria e Análise de Seus Determinantes
Autora: Iuna Lamb Scheffler
Orientador: Marcelo de Carvalho Griebeler (Corecon-RS Nº 7679)
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

2º Lugar

Título: A dinâmica das Fusões e Aquisições no Mercado Brasileiro de Planos de Saúde
Autor: Gregory Moyses Volpato
Orientadora: Luciana de Andrade Costa (Corecon-ES Nº 1533) 
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - Unisinos

3º Lugar

Título: Estimativas para a Taxa Natural de Juros no Brasil após a Adoção do Regime de Metas de Inflação
Autor: João Ricardo Rodrigues Moreira
Orientador: Marcelo Savino Portugal (Corecon-RS Nº 7760)
Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Menção Honrosa
Titulo: Aspirações Educacionais e Profissionais: um Estudo Sobre a Adaptação de Preferências
Autor: Paulo Ricardo Ricco Uranga
Orientadora: Izete Pengo Bagolin (Corecon-RS Nº 7597)
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS

 

Alexandre Barbosa é escolhido Economista do Ano e Socias Villela é Destaque

- Guilherme Socias Villela é o Economista Destaque 2019 - 


O economista Alexandre Englert Barbosa foi escolhido, no último dia 2, o Economista do Ano 2019. O economista Guilherme Socias Villela, ganhou o título de Economista Destaque 2019. Os candidatos ao “Prêmio Economista do Ano” são indicados por entidades públicas, privadas, universidades e entidades de categoria, como associações e sociedades, entre outras, sediadas no Rio Grande do Sul. A Comissão Julgadora é independente e formada por nove economistas com atuação profissional no âmbito do Rio Grande do Sul, sendo três representantes do setor público, três do setor privado e três do setor acadêmico.

A iniciativa do Corecon-RS é um reconhecimento a economistas que atuam nos mais diferentes campos da profissão, engajados em atividades dos setores privado ou público, academia ou profissionais autônomos, no Rio Grande do Sul, e que tenham se destacado por sua contribuição no fortalecimento do desenvolvimento econômico regional ou nacional, através de análises críticas e inovadoras sobre assuntos relevantes e de interesse público. 

Economista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Alexandre Barbosa é Mestre em Economia na área de Economia Internacional e Doutor em Economia Aplicada também pela UFRGS. Agrega experiências de consultor econômico em entidades empresariais gaúchas, como a Federação das Associações Comerciais e de Serviços do RS (Federasul) e a Federação das Indústrias do Estado do RS (Fiergs) e de professor convidado do MBA em Finanças da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos). Responsável pela área econômica do Sicredi, premiada por suas projeções econômicas no ranking da Agência Estado, figurando entre os 10 melhores do País em diversas oportunidades, frequentemente também coloca o Sicredi entre as instituições com melhores projeções nos rankings do Banco Central do Brasil, do Ministério da Fazenda e da Bloomberg. Atualmente, exerce o cargo de Tesoureiro Executivo do Banco Cooperativo Sicredi.

O economista Guilherme Socias Villela foi duas vezes prefeito municipal de Porto Alegre. Grande incentivador das áreas verdes na cidade, em suas gestões foram inaugurados o Parque Marinha do Brasil e o Parque Maurício Sirotski Sobrinho e criados o Brique da Redenção, o Parque Vinte de Maio e o Parque Mascarenhas de Moraes, e outras 35 novas praças, além de ampliações no Parque Moinhos de Vento e do Parque Farroupilha, totalizando o plantio de mais de 1,15 milhão de árvores em oito anos de governo. Criou a primeira Secretaria Municipal do Meio Ambiente, pioneira no Brasil e foi o autor da Lei do Impacto Ambiental, que dispõe sobre a prevenção e o controle da poluição do meio ambiente no município e o responsável por obras que deram o início ao Centro Municipal de Cultura, onde se situam o Teatro Renascença, a Sala Álvaro Moreyra, o Ateliê Livre e a Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães.
Foi economista do BRDE, professor da UFRGS, com cursos de pós-graduação em outras universidades. Foi assessor do Ministério das Relações Exteriores, em Montevidéu, assessor do Ministério do Planejamento e coordenador técnico da Fundação IPEA, no Rio de Janeiro e em Washington, secretário de Estado de Coordenação e Planejamento e Secretário de Estado Extraordinário do Governo, e diretor-presidente da CEEE. Foi deputado estadual, secretário de Estado dos Transportes e Presidente do Conselho Superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (AGERGS) e superintendente regional da Companhia Nacional de Abastecimento(Conab).

Os Prêmios serão entregues durante solenidade oficial no dia 17 de dezembro, às 20 horas, no Hotel Continental (Largo Vespasiano Júlio Veppo, 77, Porto Alegre. Na oportunidade, também serão homenageados os vencedores do “Prêmio Corecon-RS 2019” – que premia as melhores dissertações de Mestrado, artigos técnicos ou científicos e monografias ou trabalhos de conclusão de Curso –, o “Prêmio Corecon-RS de Reportagens de Economia 2019”, que homenageia as melhores reportagens de Economia do RS, nas áreas de mídia impressa, rádio e mídia digital, além do “Prêmio Jornalista de Economia do Ano/2019”.

 

Economista Mônica Mattia assume presidência do Corede Serra

A economista Mônica Beatriz Mattia foi eleita, no dia 21 de novembro último, presidente do Conselho Regional de Desenvolvimento da Serra (Corede-Serra), para o biênio 2020/21.

Mônica Mattia possui Mestrado em Ciências Econômicas pela Universidade Federal do RS (Ufrgs) e é especialista em Gestão Universitária pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Brasileira, atuando principalmente nos temas economia, planejamento, desenvolvimento econômico local e regional, pesquisa econômica aplicada. Integrou equipe de planejamento do TecnoUCS. Coordena cursos de pós graduação lato sensu. Integra o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade de Caxias do Sul. Foi coordenadora do Plano de Desenvolvimento Regional 2016-2030 do Corede Serra, do Corede Hortênsias e do Corede Campos de Cima da Serra, e co-coordenadora e integrante do Grupo Docente de assessoria à revisão do Plano Diretor de diversos municípios da região. Também foi coordenadora Executiva do Corede Serra.



conselhocoredeNo dia 27 último, por ocasião da Assembleia Regional, também foram eleitos e empossados os representantes das entidades que comporão o Conselho Fiscal, que tem por objetivo fiscalizar os atos financeiros e administrativos, em especial o controle das contas. Marcelo Maschio Piazza (CIC Antônio Prado), Betina Magalhães Bitenqurt (Ufrgs Caxias do Sul) e Milton Biazus (Ecoserra) como conselheiros titulares, e Viviani Vanessa Devalle (CRE Caxias), Gilberto Bonatto (Emater Regional Caxias do Sul) e Andrea Balbinot (Polo de Moda), como conselheiros suplentes.

Os Coredes, criados oficialmente pela Lei 10.283, de 17 de outubro de 1994, são um fórum de discussão para a promoção de políticas e ações que visam o desenvolvimento regional. Seus principais objetivos são a promoção do desenvolvimento regional harmônico e sustentável das regiões, a melhoria da eficiência na aplicação dos recursos públicos e nas ações dos governos para a melhoria da qualidade de vida da população e a distribuição eqüitativa da riqueza produzida, e o estímulo a permanência do homem na sua região e a preservação e recuperação do meio ambiente.

A divisão regional, inicialmente composta por 21 regiões, foi alterada em 1998 com a criação do 22° Corede, o Metropolitano Delta do Jacuí e, em 2003, com a criação dos Coredes Alto da Serra do Botucaraí e Jacuí Centro. Em 2006 foram criados os Coredes Campos de Cima da Serra e Rio da Várzea. E, finalmente, em 2008, através do Decreto 45.436, foram criados os Coredes Vale do Jaguari e Celeiro. O Estado conta, atualmente, com 28 Conselhos Regionais de Desenvolvimento.

 

Eleição e Posse da nova gestão Ecoserra

 

ecoserra6Em reunião extraordinária da Associação dos Economistas da Serra Gaúcha (Ecoserra), ocorrida no dia 21 de novembro, economistas, acadêmicos e associados elegeram a economista Roseli Adriana Nienow (Corecon-RS Nº 8303) para a presidência da Entidade. Para a vice-presidência foi escolhido o acadêmico Mateus da Silva de Souza. Os eleitos tomaram posse para um mandato de dois anos, gestão 2020/21.

Para conselheiros foram aclamados os economistas Volnei Luis de Azevedo e Milton Biazus, e os acadêmicos Bruno Beduschi Laghi e Joel Zuanazi.

Ao tomar posse, Roseli agradeceu aos colegas pela sua indicação e firmou o compromisso de dar prosseguimento às ações de Educação Financeira nas escolas do ensino médio e fundamental, bem como apoiar a "Liga Acadêmica" junto aos alunos da Faculdade de Economia da Universidade de Caxias do Sul (UCS).

ecoserra5Terminada a eleição houve uma manifestação de agradecimento ao ex-presidente Tarciano Melo Cardoso na condução da Ecoserra, durante o mandato anterior.

Também esteve prestigiando esta reunião o associado e Delegado do Corecon-RS na Serra, economista,André Monbach Weber.

Após o evento aconteceu um happy hour descontraido em comemoração ao ano que se encerra.

Economistas discutiram na UCS cenários para 2020


A Universidade de Caxias do Sul (UCS) promoveu, na noite da última terça-feira, dia 19, o Painel “Perspectivas Econômicas para o Brasil 2020”, que reuniu a Economista-Chefe da Fecomércio, Patrícia Palermo, o economista da Fiergs, Giovani Baggio, o Economista-Chefe da Farsul, Antônio da Luz, e o Economista-Chefe da CDL Porto Alegre, Oscar Frank Júnior, para discutirem os cenários da economia para 2020.  Segundo a coordenadora do Curso de Ciências Econômicas professora Jacqueline Maria Corá, o objetivo do evento foi apresentar os cenários da economia brasileira para a comunidade regional, com o intuito de contribuir para maior informação e consequente melhoria na tomada de decisões de empresários e agentes regionais.

O presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, o conselheiro Aristóteles Galvão e a fiscal da Entidade, economista Inara Betat, estiveram presentes ao evento. Também participaram os representantes da Associação dos Economistas da Serra Gaúcha (Ecoserra), os economistas Tarciano Mello Cardoso e Milton Biazus.

 

“No desenvolvimento local, renda e produto não possuem relação direta”, diz economista

 

“Desenvolvimento municipal: possibilidade ou ficção?” foi o tema da edição de novembro do Economia em Pauta, que aconteceu, no dia 18 de novembro, na Sede do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), em Porto Alegre. Numa promoção do Corecon-RS, em parceria com o BRDE, a palestra foi proferida pelo economista Carlos Águedo Paiva, vice-coordenador do Mestrado em Desenvolvimento Regional da Faccat.

Bacharel em Economia pela Ufrgs, Mestre e Doutor em Economia pela Unicamp, Carlos Paiva é coordenador do Grupo de Pesquisa do Litoral Norte do RS (GPLNRS/CNPq), Editor da Revista Colóquio e do site territoriopaiva.com.br e Diretor Presidente da Paradoxo Consultoria Ltda. É Especialista em Teoria do Desenvolvimento Econômico, História Econômica, História do Pensamento Econômico, Economia Política, Macrodinâmica, Economia Regional, Economia do Meio Ambiente, Economia do Turismo e Economia Gaúcha.

O Economia em Pauta foi aberto pelo superintendente da Agência RS do BRDE e ex-conselheiro do Corecon-RS, economista Luciano Feltrin, que agradeceu o Conselho por mais esta parceria e falou da importância do assunto para o fortalecimento dos municípios e das regiões, no contexto da economia brasileira. Disse que até 2016 o Banco trabalhava muito pouco com municípios e, a partir dessa data, através do Programa BRDE Municípios, as cidades passaram a ter capacidade de investir em projetos e obras que visem a qualidade de vida de suas populações. “Temos atualmente 207 contratos num total de R$ 590 milhões, com perspectivas de abrir novas linhas de financiamentos com o Banco Mundial e com o BID”, afirmou, ressaltando que as linhas de crédito são disponibilizadas em três braços principais, saneamento e mobilidade, infraestrutura social, rural e urbana e desenvolvimento institucional.

paiva1Carlos Paiva iniciou sua apresentação falando sobre as motivações que geram as opções de investimentos, as demandas, diversificação, e até que ponto a própria gestão municipal consegue promover o desenvolvimento econômico de sua localidade. Citou autores, como John Keynes, Michal Kalecki e Jonathan Leontief e ressaltou os conceitos oferecidos por Celso Furtado e Douglass North para a melhor compreensão dos princípios de desenvolvimento local e regional. Com base nesses autores, explicou que o PIB municipal é irreal na medida em que o que é produzido no interior de um município não corresponde à realidade de sua renda local. Lembrou os casos dos municípios de Triunfo e Santa Maria, em que, no primeiro, o PIB per capita é altíssimo em relação à renda de seus habitantes, e que a maior parte desse produto é enviado, em forma de tributos e impostos federais e estaduais, para fora da localidade, enquanto a renda não converte aos moradores locais, já que grande parte dos trabalhadores residem em outros municípios da região metropolitana de Porto Alegre. No caso de Santa Maria, ao contrário, a renda da população é maior que o produto, já que o valor dessa produção é gerado em municípios próximos e enviados para os domiciliados locais, que estudam e vivem nesse município. “Então, renda e produto não possuem uma relação direta. Isso é um grande engano, já que se trata de um dado que tem muito mais informação para o Estado que para os municípios locais”, ressaltou. “De uma forma geral, toma-se equivocadamente como um indicador de qualidade de vida enquanto os estudiosos em desenvolvimento regional não tomam um produto como algo tão relevante assim”, acrescentou.

Falou sobre as diferenças entre as produções voltadas para a demanda externa e as de aumento da oferta para o mercado local. Disse que, neste ponto, a compreensão ainda é muito equivocada por parte de muitos gestores, especialmente no que diz respeito à qualidade da geração de emprego e renda no momento da escolha pelos investimentos a serem realizados. “A demanda externa, que incide sobre os bens que a localidade vende para fora, é extremamente elástica, e o aumento da produção, com qualidade e preços de mercado, certamente irá gerar ganhos de escala e produtividade”, explicou.

paiva3O economista afirmou que são três as formas de entrada de recursos no município, que acontece através da balança comercial, da conta turismo ou da conta renda. Como exemplo de particularidade local, citou as chamadas contas de exportações ou de turismo, que medem entrada de recursos na economia pela passagem de pessoas pelo município. Disse que boa parte dos prefeitos possuem percepção dessa realidade, enquanto muitos economistas, preocupados com indicadores gerais, muitas vezes não leva a sério o suficiente a importância desse detalhe, ocasionando distorções de interpretações sobre os números que a envolvem. “Temos a ideia de turismo global, que é aquele, tradicional, que se faz uma vez por ano. Mas os municípios têm os seus próprios clusters, formados por restaurantes, bares, praças, jogos, entre outros, por onde pessoas de outras localidades passam e usufruem de suas potencialidades, deixando recursos que movimentam a economia local”, complementou. “Essa é uma das formas como o município se desenvolve, e nós, economistas, temos que conhecer esse processo, que não é percebido corretamente quando se está pensando apenas em economia macro, global ou nacional”, alertou.

Com base na forma de distribuição e de multiplicação da renda entre os moradores, o economista finalizou, apresentando uma análise histórica sobre as diferenças entre a formação dos municípios ocorrida na metade Sul e no Norte do Estado, que se diferenciam pela diversificação produtiva e pulverização das atividades urbanas.

Participaram desta edição do Economia em Pauta, o presidente do Corecon-RS, economista Rogério Tolfo, o conselheiro Aristóteles Galvão, e o ex-presidente da Entidade, economista Lauro Renck.

O evento teve o apoio de Águas Mineral Sarandi.

Clique aqui para acessar a gravação em vídeo

Baixar pdf da apresentação

 

Vaga para Economista Analista Financeiro


A Marphom Comunicação e Marketing está contratando profissional Economista para vaga de analista financeiro. Algumas exigências são possuir experiência na função, conhecimento dos impostos e regimes tributários e demais rotinas administrativas financeiras, pacote Office, internet, Excel intermediário. Ter trabalhado na área de comunicação e marketing será um diferencial.
Interessados podem enviar curriculum para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.


VAGA PROFISSIONAL - ANALISTA FINANCEIRO
Atividades: REALIZAR CONCILIAÇÃO BANCÁRIA, CONTAS A PAGAR E A RECEBER, PREVISÃO ORÇAMENTÁRIA, ELABORAÇÃO E FECHAMENTO DE PLANILHAS, DE FAZER O FLUXO DE CAIXA, EMISSÃO DE NOTAS ELETRÔNICAS, FECHAMENTO DO MOVIMENTO MENSAL PARA CONTABILIDADE CONFERÊNCIAS DE BALANÇOS E DRE, APURAÇÃO DE VARIÁVEIS PARA FOLHA DE PAGAMENTO, SOLICITAÇÃO DE VT / VR E OUTROS BENEFÍCIOS BEM COMO DEMAIS ATIVIDADES DA ÁREA ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA.
Horário: 09:00 até 12:00 | 13:30 até 19:00 E SEXTA ATÉ 18:30 HORAS
Carga horária: 42H/S SEG-SEX
Remuneração: A COMBINAR
Vale-Transporte: SIM. INDIFERENTE
Passagem Grande Porto Alegre: SIM
Vale-Refeição: SIM (R$ 28,00)
Assistência Médica: SIM – APÓS PERÍODO DE EXPERIÊNCIA
Sexo: INDIFERENTE
Idade: De 24 até 40 anos

Desenvolvimento municipal: possibilidade ou ficção?” é tema de palestra nesta segunda, no BRDE

“Desenvolvimento municipal: possibilidade ou ficção?” é o tema da edição de novembro do Economia em Pauta, que acontece no dia 18 de novembro (segunda-feira), às 16 horas, na Sede do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), na Rua Uruguai, nº 155, Auditório, 14º andar, Centro Histórico, em Porto Alegre. Numa promoção do Corecon-RS, em parceria com o BRDE, a palestra será proferida pelo economista Carlos Águedo Paiva.

Bacharel em Economia pela Ufrgs, Mestre e Doutor em Economia pela Unicamp, Carlos Paiva é Vice-Coordenador do Mestrado em Desenvolvimento Regional da Faccat, Coordenador do Grupo de Pesquisa do Litoral Norte do RS (GPLNRS/CNPq), Editor da Revista Colóquio e do site territoriopaiva.com.br e Diretor Presidente da Paradoxo Consultoria Ltda. É Especialista em Teoria do Desenvolvimento Econômico, História Econômica, História do Pensamento Econômico, Economia Política, Macrodinâmica, Economia Regional, Economia do Meio Ambiente, Economia do Turismo e Economia Gaúcha.

Será fornecido um certificado de 2 horas complementares aos estudantes que participarem do evento.

Entrada gratuita!
Informações e reservas, pelo fone (51) 3254.2608 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Página 1 de 61